logo
18.02.2021 · Vereador Tabosa
Moradores do Nova Campo Grande vivem o drama de obra mal planejada pela prefeitura
whatsapp_image_2021_02_17_at_13_50_22_1

Lançada em agosto de 2020 pelo Executivo Municipal e orçado em mais de 50 milhões de reais, as obras de pavimentação das ruas da vila Nova Campo Grande, um sonho de mais de 30 anos daqueles moradores, ao invés de proporcionar alegria, vem causando grandes transtornos porque foi iniciada em período de chuvas e a quantidade de buracos e lama vem tirando a paz de quem mora ou transita pelas ruas da vila. 

Aproveitando a campanha eleitoral do ano passado, o prefeito Marcos Trad (PSD) iniciou as obras em outubro justamente para angariar os votos dos eleitores locais, mas ficou em compasso de “tartaruga” após sua vitória nas urnas, deixando para acelerar os trabalhos no início de 2021, justamente em período de grandes volumes de águas ocasionado pelas chuvas, comum neste período do ano, atrasando a entrega do serviço e proporcionando grandes dissabores de seus moradores. 

As obras estão previstas para serem executadas em duas etapas. A primeira com custo de R$ 25.348.602,13. Abrange a pavimentação das vias: Avenida 4 – Ramo A e B, Avenida 4 – Leste e Oeste, Avenida 10, Avenida Amaro Castro Lima, Avenida Wilson Paes de Barros, Rua 24, Rua 46, Rua 47, Rua 48, Rua 49, Rua 50, Rua 51, Rua 52, Rua 53, Rua 54, Rua 55, Rua 56, Rua 60, Rua 62 e Rua 76.

Além do recapeamento na Avenida 10 e Rua Antônio Vieira de Mello, Avenida Amaro Castro Lima, Avenida Wilson Paes de Barros, Rua 26, Rua 57, Rua 60, Rua Emília Teodora de Souza, Rua Felipe dos Santos e Rua Teófilo Otoni (Antiga Rua Piraí). 

A etapa B está orçada em R$ 27.248.667,41 e contempla a pavimentação da Pavimentação: Avenida 2 – Via e Estacionamento, Avenida 3, Avenida 7, Avenida Amaro Castro Lima e Rotatória 1. 

Nesta fase seria feito também o recapeamento nas avenidas 2, 7 e Amaro Castro Lima. Além da construção da ponte de 20 metros sobre e o Córrego Imbirussu na Avenida 7. Ao todo serão 16 quilômetros de drenagem, 20 quilômetros de pavimentação e 9 quilômetros de recapeamento. 

Iniciada em período de chuvas, a vila se transformou num verdadeiro pântano e tornou-se um desafio andar ou dirigir pelas ruas do bairro. Um claro sinal de mau planejamento e desperdício de tempo e dinheiro do contribuinte. 

Acionado pelos moradores da vila para denunciar as dificuldades enfrentadas com a situação imposta pelo Executivo Municipal, o vereador Marcos Tabosa (PDT) esteve visitando o local nesta terça-feira, dia 16 e constatou in loco o quão desastrosa é esta gestão do prefeito Marcos Trad Filho no trato da coisa pública.  

Para o vereador Marco Tabosa, são ações descompromissadas com os problemas dos campograndenses, que pagam seus impostos e esperam do gestor respeito e responsabilidade com os recursos do povo. Por conta disso, vai solicitar, via gabinete parlamentar, cópias do contrato para averiguar valor, data, prazo de entrega, enfim, acompanhar cada etapa da execução do serviço e cobrar do poder público a correta aplicação de cada centavo extraído dos cofres municipais para conclusão daquela obra, afinal, essa é a verdadeira função do vereador: scalizar o dinheiro do contribuinte. 

 

Palmir Cleverson Franco 

Assessoria de Imprensa do Vereador

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.