ícone whatsapp

Setembro Amarelo: William Maksoud ressalta o Programa Valorização da Vida em Campo Grande

19.09.2022 · 12:00 · Vereador William Maksoud

Neste mês acontece a campanha Setembro Amarelo de Prevenção ao Suicídio e para ressaltar a importância desse assunto, o vereador William Maksoud relembra a criação da lei 6.561/21, de sua autoria, que dispõe sobre o “Programa Valorização da Vida” nas escolas do município. O Programa foi estabelecido como principal instrumento de política pública na área de combate ao suicídio e demais problemas psicossociais da Rede Municipal de Educação.

“Temos imenso respeito e carinho por esse projeto que a Secretaria Municipal de Educação (SEMED), com a Superintendência de Gestão e Normas (Sugenor) e a Coordenadoria Psicossocial, colocam em prática nas nossas escolas. É um trabalho minucioso, de muita dedicação, cuidado e atenção com os nossos alunos, professores e trabalhadores da Educação, contribuindo para a promoção da saúde mental e a resolução de conflitos vivenciados pela comunidade escolar. Deixo aqui meus parabéns a secretária municipal de Educação, Alelis Izabel Gomes, em nome de todos os profissionais envolvidos no Programa. Este trabalho faz toda a diferença na vida das pessoas”, destacou Maksoud.

Segundo balanço divulgado pela prefeitura em agosto deste ano, o Programa “Valorização da Vida” já atendeu aproximadamente 50 mil pessoas, entre alunos da Rede Municipal de Ensino (REME) de Campo Grande e seus familiares, professores, trabalhadores da educação, desde que foi lançado.

Sobre o Programa Valorização da Vida

Em 2021 foi sancionado o projeto de lei 9.941/19, agora lei 6.561/21, de autoria do vereador William Maksoud e demais parlamentares, que institui o Programa de Valorização da Vida nas escolas da Rede Municipal de Ensino do município. 

O Programa visa a defesa incondicional da vida, mediante o fortalecimento da autoestima e a solidificação de valores que sustentem o desenvolvimento psicossocial e contribuam para a promoção da resolução de conflitos cotidianos vivenciados pelas crianças e adolescentes das unidades da Rede Municipal de Ensino de Campo Grande. O intuito é a luta pela valorização da vida, um bem social, a serviço da construção de uma sociedade mais justa e uma educação humanitária, com base nos direitos humanos, no ambiente e nas questões culturais interconectadas.

São objetivos do programa: fornecer indicadores e informações básicas à comunidade escolar a respeito de situações que caracterizem suicídio, automutilação e depressão; prestar orientações especializadas às equipes técnico-pedagógica e docente para o alcance dos objetivos propostos; assegurar aos alunos um espaço para o diálogo, exposição de ideias, expressão das dores físicas e/ou emocionais, com os técnicos responsáveis, em parceria com a escola; desenvolver as ações para a solidificação de valores no desenvolvimento psicossocial, com a solidariedade, para inspirar as pessoas a serem íntegras em relação aos próprios sentimentos e emoções; contribuir para a não ocorrência do auto-dano, definido por comportamento deliberado para destruir ou machucar o próprio corpo, com ou sem intenção suicida consciente, no qual resultam graves lesões; proporcionar as estratégias preventivas para solucionar conflitos, utilizando-se da interação com o meio para intermediar e superar as situações de risco; fortalecer o vínculo afetivo-emocional entre professores e alunos, com momentos de reflexão que favoreçam a boa convivência, o crescimento das relações interpessoais, o respeito mútuo, o acolhimento das diferenças e o exercício da comunicação; promover a busca pela harmonia entre os pares, a liberdade e a realização pessoal com integridade e preservação das necessidades dos semelhantes; contribuir para a ampliação do olhar dos educadores com a intenção de perceber os diversos comportamentos que caracterizem suicídio, automutilação e depressão; desenvolver princípios de resiliência, de paz, de não violência e de sustentabilidade social e do ambiente; e promover o resgate da cidadania, a valorização da diversidade cultural e da ética, o respeito aos direitos humanos e à gestão participativa.

Nilce Lemos
Assessoria de Imprensa do Vereador