logo
19.09.2019 · Vereador Veterinário Francisco
Veterinário Francisco: “tratamento da leishmaniose não pode ser interrompido”
reunio_pblica_combate_a_leishmaniose

Legislações e políticas públicas auxiliaram na redução de casos de leishmaniose em Campo Grande. As perspectivas e os avanços para prevenção e combate à doença foram debatidos em Reunião Pública na manhã dessa quarta-feira (18), no Plenarinho da Câmara Municipal. 

Uma lista de prioridades foi elaborada para incluir como demandas ao orçamento e ampliar o debate. 

O evento promovido pelo vereador Eduardo Romero, Reunião Pública de Prevenção e Combate a Leishmaniose: Avanços e Perspectivas, contou com a participação do Vereador Veterinário Francisco Gonçalves de Carvalho (PSB). 

Veterinário Francisco, que preside a Comissão de Defesa, Bem-Estar e Direito dos Animais da Câmara de Vereadores, realçou a importância de dar continuidade ao tratamento da leishmaniose. “As pessoas tratam os cães e não dão continuidade, não usam repelentes, tem reinfestação e o problema se instala novamente”, ressaltou o Parlamentar, que por mais de dez anos foi diretor do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ).

Ainda conforme o Vereador Veterinário, “é preciso trabalhar mais a conscientização das pessoas sobre a manutenção do tratamento”, enfatizando que “todas as ações são indispensáveis em se tratando de saúde pública”.

Veterinário Francisco mencionou alguns problemas na posse animal, pois muitos proprietários não querem a castração. “Por isso, é importante levar esse conhecimento”. Lembrou ainda que o CCZ tem limite de atuação, devido a recursos e número de funcionários, e destacou o avanço que deve vir com o microchip dos cães. 

Assessoria de Imprensa do Vereador

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.