logo
07.06.2018 · Vereador Ademir Santana
Regulamentação do Conselho de Transporte E Trânsito é prioridade máxima, afirma vereador Ademir Santana
img_20180607_wa0036

Durante a sessão ordinária dessa quinta-feira (7) na Câmara Municipal, o vereador Ademir Santana fez usoda palavra para levantar a questão da regulamentação do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito, criado em 2013, mas que ainda não foi regulamentado pelo poder executivo. O vereador tratou do assunto motivado pelo movimento que os vereadores têm feito para que os benefícios da redução do valor do diesel cheguem à tarifa de ônibus.

“As coisas estão interligadas. Se tivéssemos um conselho regulamentado, como manda a lei, esse assunto da redução do valor do diesel seria tratado com muito mais propriedade. O Conselho Municipal de Transporte e Trânsito foi criado justamente para envolver mais setores da sociedade em discussões como essa”, afirmou.

Ademir Santana, que é membro da Comissão Permanente de Defesa do Consumidor, deixou claro que vai procurar acelerar o processo junto ao prefeito Marcos Trad. O parlamentar diz não entender o porquê de tanta demora. “A nossa comissão não pode ficar em silêncio diante de uma situação assim. O prazo para regulamentação era de no máximo 60 dias, e já se passaram mais de quatro anos. Como membro da comissão, vou tentar uma audiência com o prefeito. É preciso resolver a questão”.

Para o vereador, a criação do conselho é um ato democrático que precisa ser respeitado, afinal, a partir dele é possível ouvir os poderes públicos, empresários, usuários do transporte coletivo, colaboradores do consórcio, representantes de bairros e outros setores, a fim de que as discussões e decisões sobre o assunto sejam plurais. “Hoje nós estamos nas mãos de decisões praticamente unilaterais que não envolvem a sociedade. Fica tudo entre a Agereg, a prefeitura e o próprio consórcio. Quando o restante toma conhecimento fica difícil qualquer reação”, lamentou.

Ademir Santana ainda reforça que são muitos os problemas enfrentados por quem depende do sistema de transporte público em Campo Grande, e que só com a participação de quem vive isso no dia a dia é possível melhorar. “O transporte coletivo de Campo Grande está longe de ser ideal. Pontos de ônibus sem cobertura, terminais de transbordo abandonados, mato tomando contado entorno, tarifa alta, problemas com acessibilidadee tantos outros que deixam os usuários muito apreensivos. É fundamental que tenhamos ferramentas democráticas para enfrentar tudo isso”, afirmou.

Para finalizar, Ademir disse que uma audiência pública na Câmara dos Vereadores já está programada para discutir o assunto do transporte público com a população. Segundo ele, caso a regulamentação do conselho não saia até lá, esta será uma de suas pautas durante a discussão com a sociedade.

Guto Dobes
Assessoria de Comunicação do Vereador

 

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.