logo
21.05.2019 · Palavra Livre
No Maio Amarelo, diretor da Agetran destaca ações para reduzir acidentes no trânsito
img_0486_janine_de_lima_bruno_fto_izaias_medeiros

As medidas para reduzir os acidentes de trânsito em Campo Grande foram apresentadas na Tribuna da Câmara Municipal, durante a sessão ordinária desta terça-feira (21), pelo diretor-presidente da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Janine de Lima Bruno. O uso da Palavra Livre acontece no momento da Campanha Maio Amarelo – “No Trânsito o sentido é a vida”, no mês dedicado a reforçar esse alerta. O  convite para falar na Casa de Leis foi feito pela vereadora Enfermeira Cida Amaral.

Janine Bruno lembrou que o trânsito é feito por todos e “quem faz parte precisa dar sua contribuição”. A Agetran, segundo o diretor-presidente, investiu em sinalização, fiscalização e prevenção para preservar vidas humanas. “Implantamos sinalizações horizontais e verticais, 57 novos semáforos em pontos críticos, mais de 6 mil placas de sinalização, além de trabalho de educação de trânsito para reverter esse quadro com próximas gerações”, afirmou.

Há algumas semanas, a Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) esteve em Campo Grande para acompanhar o trabalho da Agetran, diante das melhorias no setor. “Com apoio dos vereadores, estamos conseguimos fazer esse trabalho, acompanhando na rua e definindo lugares prioritários para investimentos”, afirmou. Ele mencionou a ação do Gabinete de Gestão Integrada (GGI), que conta com atuação de várias forças da saúde, educação e segurança para atuar no trânsito. 

Dados 

O diretor-presidente da Agetran apresentou estatísticas sobre os acidentes, mostrando que neste ano foram 26 mortes, menor resultado desde 2011 na comparação destes mesmos meses. Avaliando-se com o mesmo período do ano anterior, foram 34 óbitos, mesmo resultado registrado em 2017. Já no balanço anual, houve aumento de mortes no trânsito: 70 em 2017 e 87 no ano passado. Ele atribuiu esse índice aos redutores de velocidade, que foram retirados das vias da cidade no ano anterior. 

Os equipamentos foram desativados ainda no fim de 2016, quando venceu o contrato para operação deste serviço. No entanto, as empresas mantiveram as lombadas e radares nas vias e somente fizeram essa retirada em 2018. Então, segundo Janine Bruno, os motoristas preferiram não arriscar e houve mais prudência porque os redutores ainda estavam nos pontos. Neste ano, os redutores estão funcionando.

Ele comentou ainda das principais infrações. “Temos índice grande de acidentes por furo de sinal vermelho, mas agora voltamos a ter esses equipamentos”, ressaltou. Relembrou ainda o trabalho do Batalhão de Trânsito e da Guarda Municipal para blitze, que ainda flagram número alto de pessoas dirigindo sem Carteira Nacional de Habilitação e depois de ingerir bebida alcoólica. 

O diretor-presidente da Agetran respondeu a questionamentos feitos pelos vereadores sobre os redutores de velocidade na cidade.  Janine Bruno defende que os equipamentos são necessários e afirmou que da totalidade de 10 milhões de veículos que passaram pelos radares apenas 0,17% desrespeitaram os equipamentos e, consequentemente, foram multados. Ele se comprometeu ainda a passar os dados sobre os valores arrecadados com as multas e aplicação desse dinheiro, que é, segundo o diretor, revertido no trânsito da cidade. Acrescentou ainda que a Onda Verde nos semáforos já está funcionando em algumas ruas da região central da cidade e deve ser estendida para outras, a exemplo da Avenida Julio de Castilhos.  

A vereadora Enfermeira Cida Amaral, autora do convite para o diretor-presidente falar na Tribuna, ressaltou a importância do tema e agradeceu o atendimento às reivindicações feitas pela população por intermédio dos vereadores para o trânsito. “Tenho conhecimento do esforço de toda secretaria para atender pelo menos metade dos nossos pedidos. No meu gabinete não param de chegar pedidos de melhorias no trânsito e inúmeros deles foram atendidos”, afirmou. Ela sugeriu ainda a realização de seminário sobre trânsito para ampliar os debates. 

Maio Amarelo – A campanha tem objetivo de chamar a atenção para o alto número de feridos e mortos no trânsito de Campo Grande. Em 11 de maio de 2011, a ONU decretou a Década de Ação para Segurança no Trânsito. Com isso, o mês de maio se tornou referência mundial para balanço das ações e para reforçar esse alerta de prevenção e cuidados. 

Desde o começo do mês, o prédio da Câmara Municipal está com a fachada iluminada com a cor amarela para reforçar esse alerta e conscientização no trânsito. Ainda a campanha está nas redes sociais com a mensagem: Consciência não tem preço, mas vale vidas. A Câmara apoia essa ideia e trabalha por um trânsito mais seguro. 

 

Milena Crestani 

Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal 

 

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.