logo
19.03.2019 · Vereadora Enfermeira Cida
Enfermeira Cida preside audiência “Cotas Partidárias e a Efetiva Participação das Mulheres na Política”
audiencia_mulheres_na_poltica

A enfermeira Cida Amaral (pros), Presidente da Procuradoria da Mulher na Câmara, presidiu a audiência pública “Cotas Partidárias e a Efetiva Participação das Mulheres na Política. Vamos Empoderar?”, proposta pelo presidente da Casa de Leis, Professor João Rocha. Durante a reunião de mulheres autoridades do Estado de Mato Grosso do Sul e do Congresso Nacional, fizeram parte da mesa e defenderam políticas de enfrentamento, paridade em disputas eleitorais e reserva de assentos no parlamento. Além disso, houve a discussão e rejeição da proposta do senador Angelo Coronel, que propõe revogar a cota mínima de 30% para as mulheres nas eleições.

O proponente da audiência, professor João Rocha, falou sobre a trajetória de mulheres que fizeram e fazem história na política de Mato grosso do Sul. “Essas Mulheres Tiveram Coragem para colocarem o seu nome a disposição, participando da política efetivamente, disputando eleições ou ocupando cargos de gestão pública. Quando nos colocamos como pessoa pública, estamos expostos a todo tipo de avaliação, algumas delas justas e verdadeiras e muitas injustas” disse.

Silvia Rita Oliveira de Souza, que foi Secretária Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, apresentou números, com base em estudos, para demonstrar o que ainda falta para as mulheres conseguirem mais espaços em cargos políticos. “É preciso discutir igualdade nas escolas, e mostrar que os espaços na política também são para a mulher. Ter cotas para as mulheres nas direções dos partidos, cotas no executivo de 30% a 50% como já existe em outros países, e que essas oportunidades seja para a mulher branca, negra, indígenas e rurais” enfatizou.

Para a professora Marisa Serrano, a primeira mulher eleita senadora pelo Estado de Mato Grosso do Sul, a mulher não deve deixar passar oportunidades, nem deixar ser vista como segunda categoria. Marisa Serrano relembrou a sua atuação como vereadora há 42 anos e citou alguma de suas conquistas, junto com a colega de parlamento Nelly Bacha “Criamos a bancada do baton e tivemos muitas conquistas. Como por exemplo: a licença maternidade de 120 dias, direito à posse de terra para as mulheres, lei da cota de 30% para as mulheres na política, lei que permite a cirurgia reparadora para mulheres que tiveram câncer de mama realizada totalmente de graça pelo SUS, lei que criminaliza o assédio sexual, acesso ao fundo partidário, lei das domésticas, tempo para as mulheres nas propagandas políticas dos partidos, entre outras conquistas” enumerou a professora.

Para a vereadora Enfermeira Cida Amaral, a audiência abordou temas de grande relevância e necessárias para o protagonismo das mulheres na política. “Hoje aprendi mais um pouco, escutando histórias de mulheres guerreiras, que já enfrentaram as dificuldades e o preconceito para se estabelecerem na vida política. Me orgulho de fazer parte dessa história, não podemos desistir, temos que lutar para alcançar mais conquistas em prol das mulheres na política. Luto e vou continuar a lutar para ver a cada dia mais mulheres fortes, determinadas, empoderadas na luta por direitos igualitários. Depois dessa audiência posso dizer que ganhei mais um pouco de força” declarou a parlamentar.

Participaram da audiência a ex-senadora de MS, Marisa Serrano, a ex-deputada estadual, Mara Caseiro, a Subsecretária de Políticas Pública para as Mulheres, Giovana Corrêa Vargas, Subsecretária Especial da Cidadania, Luciana Azambuja Roca, a Subsecretária Municipal de Políticas para a Mulher, Carla Stephanini, a vice- prefeita da Capital, Adriane Lopes, as Deputadas Federal Beatriz Cavassa e Rose Modesto, a Senadora Soraia Thronicke, vereadora de Bela Vista, Fabrizia Tinoco, entre outras mulheres que atuam efetivamente na política Sul-Mato-Grossense.  

 

Maria Pereira

Assessoria de Imprensa da Vereadora 

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.