logo
02.09.2019 · Vereadora Enfermeira Cida
Enfermeira Cida participa de Audiência Pública “Setembro Amarelo Prevenção ao Suicídio” na Assembleia Legislativa
img_5693_ver_enfermeira_cida_fto_izaias_medeiros

Proponente da Lei Municipal nº 6.009/18, que institui o Plano Municipal de Valorização da Vida e do Combate ao Suicídio, a vereadora Enfermeira Cida Amaral (Pros), participou nesta segunda-feira (2) da Audiência Pública “setembro Amarelo Prevenção ao Suicídio Valorização da Vida”, realizada pelo Deputado Estadual Herculano Borges.

Durante a audiência realizada no plenário Júlio Maia, dois palestrantes falaram sobre o tema. O professor Edilson Reis, que atua como Capelão no Hospital Universitário da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), que trouxe dados alarmantes sobre os índices de quem acomete contra a própria vida. De acordo com o capelão os homens são os que mais se suicidam, sendo 79% dos casos no Brasil. As mulheres contabilizam 69% dos índices das tentativas.

O médico psiquiatra Marcos Estevão, também falou sobre o tema. Ele sistematizou os três D e os três I para serem identificados. “Os três D – Desamparo, desesperança e desespero – quando a pessoa diz frases como “eu só dou trabalho” “queria que Deus me levasse”, devemos ter um olhar diferenciado, e levar essa pessoa num profissional da saúde mental”. Os três I – Intolerável, inescapável e interminável – geralmente essas frases demonstram que a pessoa está sem saída, que a dor só acabará com a morte. São sinais que precisam ser levados a sério, pois o suicídio vem com um conjunto de fatores como: familiar, social e biológico. E o individuo acredita que a única saída é a morte, e não é, existe sim uma saída, existe ajuda”, declarou o médico.

Para a vereadora Enfermeira Cida Amaral é preciso discutir o tema. “Precisamos falar sobre a dor, e a minha Lei nº 6009/18 tem como objetivo desenvolver programas para o atendimento às pessoas em quadros depressivos ou inclinadas à prática do suicídio, bem como identificar possíveis sintomas, tratar o transtorno e prover o acompanhamento dos indivíduos que apresente o perfil, prevenindo e minimizando a evolução dos quadros que possam chegar ao suicídio, através de palestras e campanhas”, explicou a parlamentar.

Assessoria de Imprensa da Vereadora

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.