logo
01.06.2016 · Câmara Comunitária
Em Comunitária, moradores de Anhanduí clamam por mudança de pedágio e creche
10939b3bdbee291418b5ca38b0d05f3c

Os vereadores de Campo Grande percorreram as ruas do Distrito de Anhanduí na manhã desta quarta-feira (1º) na 8ª edição do Projeto Câmara Comunitária, visitando os equipamentos públicos e fiscalizando os serviços públicos disponibilizados à comunidade.

 

A visita dos vereadores teve início na Escola Municipal “Isauro Bento Nogueira”, onde analisaram todas as instalações da instituição. Os parlamentares também foram a UBS (Unidade Básica da Família) "Dr. Bento Assis Machado", que estava com viatura do Samu e da Guarda Municipal a disposição. Uma das reivindicações apresentadas pelos moradores foi a instalação de um 3º turno, para que o horário de atendimento do posto seja estendido, pois a demanda não comporta a instalação de uma unidade 24 horas.

 

Os parlamentares também visitaram o Centro de Atendimento ao Cidadão e o Centro de Convivência que ficam no mesmo prédio e serve como um posto de serviços municipais, com atendimento social a adultos e crianças, que tem acesso a atividades extra-curriculares no período em que não estão na escola.

 

 Durante as visitas vários representantes da Semed (Secretaria Municipal de Educação), da SAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) e da Sedesc (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo, Ciência e Tecnologia e Agronegócio) acompanharam os vereadores.

 

A visita foi acompanhada pelo Padre Francisco Eduardo, pároco de Anhanduí, que conhece de perto todas as necessidades do local. "É uma alegria poder receber os vereadores, porque quando eles vem aqui é um reforço ao que já temos solicitado. O nosso grande problema hoje é a questão do pedágio. Fomos separados de Campo Grande e quem quiser ir e voltar tem que pagar R$ 14,40, isso está dificultando muito o deslocamento da população do Distrito. Os vereadores e o prefeito estão buscando uma solução para esse problema", disse.

 

Ainda de acordo com o vereador Prof. João Rocha, "é uma satisfação poder encontrar o Padre Eduardo, que exerce a função de gestor e faz a intermediação entre o Distrito e a Prefeitura. É um líder religioso que faz um trabalho importante na comunidade e tem grande importância no trato das coisas públicas daqui", afirmou.

 

Com intuito de buscar uma solução para a questão do pedágio, o presidente da Casa de Leis, vereador Prof. João Rocha enviou um Ofício à ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) solicitando a realização de um estudo técnico para avaliar a mudança da praça de pedágio para outro local, que não seja entre Anhanduí e Campo Grande. "Hoje o Distrito de Anhanduí está separado de Campo Grande e não podemos aceitar isso. Caso não consiga essa mudança que seja feito algo para que os moradores sejam isentos e não precisem pagar a taxa de pedágio que é muito cara. Temos também um Projeto do vereador Alex que já foi promulgado e não está sendo cumprido, prevendo justamente essa isenção para os moradores e aqueles que trabalham em Campo Grande e moram em Anhanduí, ou vice versa", alegou.

 

Outra reivindicação apresentada pelos moradores é a construção de um Ceinf (Centro de Educação Infantil) para atender as crianças da região. Segundo Cleiton Anderson, que mora em Anhanduí há 15 anos, "A população de Anhanduí cresceu muito e não temos creche. Os pais não têm onde deixar os filhos para irem trabalhar.Precisamos também que o ônibus circular rural que temos ande mais duas voltas, o que dá 4 km, para levar e trazer as crianças da escola. Em dias de chuva e frio, as crianças chegam todas molhadas", disse.

 

Conforme o vereador João Rocha, "a comunidade carece de uma instituição de educação infantil e já estamos vendo a questão da desafetação de uma área junto ao Governo do Estado. Esse é um problema de longa data, as crianças estão recebendo uma educação precária e de forma paliativa aqui no Centro de Convivência", disse.

 

Paulline Carrilho
Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.