logo
10.05.2022 · Vereador Dr. Victor Rocha
Câncer de Mama: Dr. Victor Rocha prova que em seis meses de Casa Rosa que é possível zerar a fila de espera do SUS com atendimento de qualidade
6_meses_casa_rosa

Médico mastologista e vereador Dr. Victor Rocha esclarece que a consulta integrada e resolutiva em mastologia foi capaz de zerar a fila de espera no SUS, em um tempo recorde.

Projeto inovador, implantado em Campo Grande desde novembro de 2021, a casa rosa é um serviço de mastologia integrado que tem trazido muitos resultados positivos. Em seis meses de atuação, a Casa Rosa aumentou a oferta de consultas em mastologia e conseguiu zerar a fila de espera de consultas. Além disso, a Casa Rosa proporciona o acesso em tempo recorde aos exames de mamografia, ultrassonografia e biópsias, que resultaram em 30 diagnósticos de pacientes com câncer de mama e que já estão encaminhadas para o tratamento oncológico. “Nosso ambulatório está com uma taxa de diagnóstico acima de 3%, o que significa que a cada 31 pacientes novas, um novo caso de câncer será diagnosticado, quanto mais precoce for o diagnóstico, maiores são as chances de cura.”

O parlamentar já tem sido procurado por instituições de outros estados para saber como é possível zerar a fila de atendimentos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Médico mastologista há 18 anos, Dr. Victor Rocha é enfático: “É possível por meio de consulta integrada e resolutiva. Ou seja, ao invés de fragmentar o atendimento, que leva a paciente várias vezes à fila de espera no Sistema de Regulação do SUS, deve-se concentrar o atendimento, como o que fizemos na Casa Rosa”, esclareceu.

O Dr. Victor Rocha detalhou qual o caminho e o tempo que uma paciente precisa enfrentar em busca da prevenção e/ou tratamento ao câncer de mama. “Hoje no sistema tradicional a paciente vai a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) ou Unidade da Saúde da Família (USF) para passar por consulta e sai com uma solicitação para a realização de uma ultrassonografia de mama, onde entra na fila do Sistema de Regulação (SisReg). Retorna para a UBS com a descoberta de um nódulo, volta para a fila de regulação para passar por um mastologista. Ao consultar com o especialista é solicitada uma biópsia que após ser realizada tem que ser laudada. De posse desse exame volta para a fila de regulação para novamente ser encaminhada para o mastologista, caso seja diagnosticada com câncer de mama, vai novamente para fila do SisReg para ser encaminhada para o tratamento. Se todo esse fluxo correr dentro da previsão do SUS, em uma visão mais otimista estimamos em no mínimo dois anos de espera até o efetivo diagnóstico, portanto, um caso que poderia ser curado, pode ter agravamento no estado de saúde da mulher, podendo levá-la a óbito”, relatou o Dr. Victor Rocha.

A Casa Rosa proporciona um ambiente integrado, onde é possível passar por consulta com mastologista e exames de mamografia, ultrassom de mamas e biópsia em um único dia, com a mesma agilidade e eficiência da rede particular de saúde, garantindo que o câncer de mama seja diagnosticado em até sete dias com resultado da biópsia, possibilitando diagnóstico precoce e tratamento em tempo hábil.

Em seis meses de funcionamento da Casa Rosa, já foram realizados 1995 atendimentos (entre primeira consulta e retorno). Sendo realizadas 342 mamografias, 501 ultrassonografias e 209 biópsias de mama. Trinta mulheres foram diagnosticadas com câncer de mama e prontamente encaminhadas para tratamento oncológico.

“Temos atendido pacientes da Capital e de 34 municípios de Mato Grosso do Sul. Nossa intenção é abrir a possibilidade de agendamento direto, para que a paciente possa escolher qual a melhor data para a consulta e realização de seus exames”, disse o parlamentar.

Questionado sobre o custeio desse modelo de atendimento pelo SUS, Dr. Victor Rocha explica que as possibilidades são através de recursos da União, Estado, Município ou Emendas Parlamentares, em hospitais ou serviços contratualizados pelo SUS”.

O desafio para zerar a fila de espera no SUS foi superado com a ampliação de vagas para consulta em mastologia em 320 vagas/mês, além deste serviço oferecer um atendimento integrado com exames de imagem (ultrassonografia e mamografia) e patologia, com resultado de biópsia e imuno-histoquímica em uma semana.

O câncer de mama é o que mais atinge mulheres no Brasil. Em 2020 foram registrados 66.280 mil casos novos da doença no Brasil e 850 casos novos no Mato Grosso do Sul, com taxa estimada de 17,12 casos para cada 100 mil mulheres, segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer).

“Se oferecermos esse modelo de consulta integrada e resolutiva iremos diagnosticar precocemente o câncer de mama, podendo oferecer resultados reais de cura para as mulheres”, finalizou o Dr. Victor Rocha.

A cada dia e meio que a Casa Rosa atende a população um novo caso será diagnosticado. Cada caso diagnosticado precocemente é uma vitória. Além disso, todas essas mulheres que estamos atendendo estão fazendo exames de rotina para câncer de mama e tendo seu estado de saúde checado e isso é um desafio de saúde pública que a Casa Rosa está vencendo a cada dia de atendimento.

Para as pessoas que desejam ser atendidas na Casa Rosa, basta procurar uma unidade de saúde próxima a sua residência e pegar o encaminhamento ao ambulatório de mastologia do Dr. Victor Rocha.

Os atendimentos são realizados nas tardes de quinta e sexta-feira no ambulatório da Maternidade Cândido Mariano, localizado na Rua Vinte Cinco de Dezembro, nº 509 em Campo Grande/MS.

Assessoria de Imprensa do Vereador 

 

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.