Com participação de lideranças, Câmara discute situação de enchentes no município

16.05.2012 · 12:00 · Audiência Pública

Com a participação de lideranças comunitárias, professores de instituições acadêmicas e técnicos, a Câmara Municipal de Campo Grande realizou, nesta quarta-feira (16), por meio da Comissão Permanente de Obras e Serviços Públicos, da Casa de Leis, Audiência Pública para discutir sobre a questão das enchentes e inundações freqüentes no município.

 

De acordo com o presidente da Comissão, vereador Carlão, a reunião pública norteou encaminhamentos que servirão para mostrar a sociedade campo-grandense, que o trabalho para conter as enchentes está sendo feito pela Prefeitura e que o fato de representantes de comunidades exporem seus problemas quanto à situação, já deflagrada em muitos bairros da cidade, auxilia no desenvolvimento de estratégias para solucionar o problema na capital. “O povo sofre quando dá uma chuva de meia hora e até de 40 minutos, mas temos também que mostrar o que está sendo feito e o que se vai fazer”, disse Carlão ao explicar o objetivo da reunião. 

 

O Secretario Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação da Prefeitura de Campo Grande – Seintrha, João Antonio De Marco, destacou que o problema de enchentes não se restringe, apenas, ao município de Campo Grande, mas a outras regiões do país, já que o problema, segundo o secretario, é um fenômeno urbanístico.“Campo Grande não é diferente das outras cidades e o maior exemplo disso é o córrego Anhanduizinho. A solução para as enchentes passa pelo controle e manejo das águas, barragens ou lago de detenção”, disse De Marco ao lembrar do Plano Diretor de Drenagem feito para o município de Campo Grande.

 

Conforme o secretario, o Plano  Diretor de Drenagem demonstra as propostas para amenizar os efeitos dessas inundações em Campo Grande como as que já ocorreram nas proximidades do Shopping Campo Grande, onde, conforme De Marco, o efeito bem é maior.

 

Para o professor da Uniderp e chefe do laboratório de Clima e meio ambiente, Natálio Abrão Filho, “nós estamos vivendo um momento de situação muito grave e o que se precisa é ter consciência, o crescimento desenvolvido não permite, crescimento ajustado na evolução do clima”, justificou Natalio Abrão.

 

O ambientalista, Ivan Pedro Martins, ressaltou  que hoje, o município, mesmo com todos os percalços, enfrenta a problemática  com mais rapidez e  mais técnica, do que em décadas passadas.

 

À reunião compareceram os vereadores Marcos Alex, Paulo Pedra, Marcelo Bluma além de Marcos Augusto Netto- presidente do Secovi.

 

 


Ana Rita Chagas

Assessoria de Imprensa Câmara Municipal