logo
12.07.2017 · CPI
Vereadores ouvem mais duas testemunhas em oitiva da CPI do Táxi

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Táxi, instaurada na Câmara Municipal para investigar as permissões de exploração do serviço, realizou, nesta quarta-feira (12) sua segunda oitiva. A CPI iniciou suas auditorias na segunda-feira (10) ouvindo um empresário e será realizada também oitiva nesta próxima sexta-feira (14), às 8h, no Plenário Edroim Reverdito, na sede da Casa de Leis.

A segunda oitiva desta segunda-feira (10) ouviu os empresários Marco Aurélio Ferreira e Vanilde Robert. Outros que seriam ouvidos nesta manhã e não compareceram na oitiva serão intimados futuramente.

O empresário Marco Aurélio Ferreira explicou que iniciou com um alvará e, hoje, a empresa é detentora de dois alvarás de funcionamento, "Eu iniciei a empresa com um alvará e, depois, através de solicitação junto à Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran) adquiri o segundo alvará. A empresa foi formada com alvarás, eu iniciei com um e depois adquiri outro carro, com isso, o segundo alvará eu adquiri junto ao órgão público mediante a concessão, não comprei nada. Eu comprei do proprietário do alvará o veículo, benfeitorias do ponto, ele detinha da concessão do alvará de funcionamento, ele me vendeu o veículo, foi feito a transferência junto à Agetran. O veículo inclusive está declarado em receita”, frisou.

Já o segundo ouvido na oitiva foi o empresário Vanilde Robert que foi intimado para depor na sexta-feira, mas antecipou seu depoimento para esta quarta-feira. Em sua fala, Vanilde Robert afirmou: "Possuo dois alvarás, iniciei em 1977 com um, depois adquiri o segundo alvará, este segundo, paguei pelas benfeitorias do ponto de táxi, pelo telefone e o veículo. O antigo proprietário precisou mudar de cidade e mediante a transferência junto ao órgão competente passei a ter dois alvarás de funcionamento”, disse.

Na ocasião, o relator da CPI vereador Odilon de Oliveira ressaltou a disposição do empresário Vanilde Robert em antecipar o seu depoimento no sentido de cooperar nos trabalhos da Comissão e reforçou que o objetivo da CPI é esclarecer algumas situações que a população trouxe para Casa de Leis, "o intuito da Comissão instaurada na Câmara é dar encaminhamentos aos trabalhos e atender os anseios da população”, avaliou.

A Comissão Parlamentar de Inquérito é composta pelos vereadores Vinicius Siqueira (presidente), Odilon de Oliveira (relator), Júnior Longo, Veterinário Francisco e Pastor Jeremias Flores.

Dayane Parron

Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.