logo
20.04.2017 · Vereador Delegado Wellington
Vereador Delegado Wellington orienta com dicas de prevenção sobre o absurdo do desafio “Baleia Azul”

Durante a 17ª Sessão da Câmara Municipal, o Vereador Delegado Wellington alertou que a prevenção é a melhor alternativa para evitar que crianças e adolescentes caiam em armadilhas, como no caso de um evento, de âmbito mundial, recente na internet, o desafio “Baleia Azul” 

“Estamos vivendo uma situação de massacre digital, diante de uma tecnologia perversa que envolve 50 desafios permitindo a automutilação, isso é um absurdo”, indaga o Vereador.

 O parlamentar destacou ainda que muitas vezes o problema começa com a falta de estrutura familiar, onde crianças e adolescentes desenvolvem problemas de afeto e não conseguem estabelecer vínculos com a família. “Devido à correria do dia a dia muitos pais suprem a ausência com presentes como celulares, tablets e, deixam muitas vezes de ter uma relação de afeto e diálogo com o seu filho. Deixo um alerta aos pais para estarem sempre atentos à mudança de comportamento e saibam quem são os amigos reais e virtuais de seus filhos. Compartilhem projetos de vida, abram espaço para o diálogo, pois os adolescentes buscam aliados, então sejam vocês pais, os principais aliados de seus filhos”, alerta.

A palavra ‘desafio’ não se encaixa ao que o evento representa tão pouco a palavra ‘jogo’, usada pelos usuários desse processo, que na realidade é um incentivo ao suicídio. O “Baleia Azul” teve origem nas redes sociais russas, em que adolescentes são previamente selecionados para cumprir tarefas diárias, que incluem automutilação, ao longo de um período de 50 dias. A última etapa seria a morte.

Para se ter uma idéia da proporção do que esses jovens chamam de ‘jogo’ ou ‘game’ – e é bom que os pais saibam como os filhos o nomeiam –, só no YouTube são mais de 25 mil vídeos sobre “Baleia Azul”. No Facebook há dezenas de grupos fechados sobre o assunto, alguns em português e outros em inglês. Há links de convites para as pessoas entrarem em grupos de WhatsApp. Tudo num mundo paralelo aos olhos dos adultos.

Para finalizar o Vereador Delegado Wellington ressaltou que estes tipos de jogos mortais devem ser urgentemente investigados e reprimidos, punindo-se os responsáveis, para que os jovens não mais participem destes desafios, evitando-se, assim, mais vítimas deste verdadeiro massacre digital.

Ana Paola Morales

Assessoria de Imprensa do Vereador