logo
18.05.2017 · Reunião
Presidentes de Câmaras de MS encaminham carta à ANTT pedindo retomada de obras ou suspensão do pedágio

Mais de 30 vereadores de Mato Grosso do Sul estiveram presentes na Câmara Municipal de Campo Grande na manhã desta quinta-feira (18) em uma mobilização inédita em prol da retomada das obras de duplicação da BR-163 pela concessionária CCR MS Via. Foram convidados vereadores e presidentes das câmaras de 20 cidades do Estado, por onde passa os 845 km da rodovia.

Em reunião, representantes de 13 câmaras municipais (Campo Grande, Camapuã, Itaquiraí, Naviraí, Nova Alvorada do Sul, Jaraguari, Mundo Novo, Rio Brilhante, São Gabriel do Oeste, Bandeirantes, Rio Verde, Caarapó e Eldorado) se uniram e elaboraram uma carta oficial, que será encaminhada ao diretor-geral da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Jorge Luiz Macedo Bastos pedindo que as obras sejam retomadas imediatamente.

CLIQUE AQUI para ver a íntegra da carta.

Em conjunto, os parlamentares decidiram realizar audiências públicas em cada cidade nos próximos dias, para mobilizar também as autoridades locais e a população em geral. Em Campo Grande, a audiência pública será realizada na próxima quarta-feira (24).

Segundo o presidente da Casa de Leis campo-grandense, vereador Prof. João Rocha logo após a realização dessas audiências, uma nova reunião entre os presidentes será marcada para elaborar um dossiê contendo as atas de todas as audiências, as quais também serão encaminhadas para a ANTT, afim de reforçar o pedido de retomada imediata das obras.

Os parlamentares lutam ainda para que o pedágio seja suspenso, caso as obras permaneçam paralisadas, impedindo a cobrança injusta de pedágio sem que o serviço esteja sendo executado.

Para João Rocha, "esse é um momento extremamente delicado. Queria saber se fosse em outro Estado, se a concessionária estaria tratando da mesma maneira que está tratando Mato Grosso do Sul? Temos que tomar uma atitude e chamar para nós essa responsabilidade, porque nós somos o início dos degraus que as pessoas podem recorrer, estamos mais próximos da população. Tomei a liberdade de convidar todos os presidentes de Câmara para que possamos deliberar uma providência. Isso é importante para nossos municípios, para nosso Estado, mas principalmente para o Brasil, pois a BR-163 é um corredor de escoamento de safras agrícolas e pecuárias Nós temos essa responsabilidade para com o nosso país. Não podemos ficar parados só nessa reunião, temos que continuar nessa mobilização até que algo seja efetivado", disse o vereador.

De acordo com o vereador de Jateí, Jeovani Vieira dos Santos (PSD), presidente da UCV (União de Câmaras de Mato Grosso do Sul), "estivemos em Brasília, acompanhado a bancada federal, junto o governador numa reunião com o ministro dos transportes e a CCR MS Via quer mais  cinco anos para que possam retomar os trabalhos de duplicação. Isso é muito preocupante, porque com essa paralisação mais de 1.200 trabalhadores perderam seus empregos,então não é só a questão da paralisação das obras, mas dos desempregados também. Eu defendo que a gente procure fazer com que a CCR cumpra o contrato de concessão aqui em Mato Grosso do Sul, até porque ela continua arrecadando, então não tem porque ela fazer essa paralisação. É inviável esse aumento na concessão de cinco anos", afirmou.

“A CCR, antes de pegar a concessão, fez um estudo criterioso. Essa parada das obras eu acho que é precipitada, pois atinge diretamente 1,2 mil famílias que precisam diretamente do emprego. Se forem parar, que seja suspendida a cobrança dos pedágios. Um dia de recolhimento de pedágio pagaria, por exemplo, todas as rescisões trabalhistas. Temos que fazer a CCR voltar aos trabalhos. É o papel dos políticos, dos vereadores e prefeitos, mas principalmente da sociedade saber o que acontece”, disse Weberton Sudário, presidente Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção de Mato Grosso do Sul. 

Por fim, o presidente do SINTICOP-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Construção Pesada de Mato, Walter Vieira dos Santos, "houve um impacto social e econômico muito grande com esta dispensa destes trabalhadores no trecho de Sonora/ Mundo Novo. Então,  é muito importante este encontro aqui, para que a sociedade se mobilize e esta obra seja retomada, fazendo com que Mato Grosso do Sul cresça tanto socialmente como economicamente com a recontratação destes trabalhadores ", disse.

 

Paulline Carrilho

Assessoria de Imprensa da Câmara Municipal