logo
21.06.2017 · Vereador Papy
“Precisamos equalizar os fatos relacionados à Cosip para que o contribuinte tenha uma cidade acesa”, reforça Papy sobre audiência pública

Debater sobre os questionamentos que envolvem a Cosip  (Contribuição para Custeio da Iluminação Pública)  e levar esclarecimentos à população foi a pauta do vereador Papy durante seu uso à palavra livre na sessão desta terça-feira, 20. Com o objetivo de reforçar o convite a todos para a audiência pública que deverá tratar sobre o tema, Papy enfatizou ainda que o encontro servirá para chegar a um denominador comum entre o legislativo, executivo e órgãos reguladores responsáveis pela iluminação pública da Capital. 

Segundo o vereador, na audiência, realizada no próximo dia 23, às 14 horas, no plenarinho da Câmara Municipal, será colocado em discussão não apenas a transparência da cobrança da taxa da Cosip, mas também como proceder com a suspensão da licitação das 40 mil lâmpadas de LED ao custo de R$ 33 milhões, guardadas em contêineres da Seinthra (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação), e a melhor forma para agilizar a troca das milhares de lâmpadas queimadas pela cidade.

“Os vereadores foram alvo de críticas do executivo no qual foi apontado que não havíamos nada que discutir a respeito da Cosip e eu discordo veementemente, porque acredito sim que temos muito o que debater. Hoje mesmo enviamos um requerimento à prefeitura para saber quanto tem sido arrecadado e investido, e qual tem sido a sobra de um exercício para o outro. Porque se há sobra de arrecadação, ou estamos cobrando além do que deveria ser cobrado ou o serviço não está sendo feito”, aponta Papy.

Para participar do debate foram convidados diversos órgãos e entidades, como OAB, Agereg, Agepan, Sinergia, Ministério Público Estadual, Sisep, prefeito Marquinhos Trad, PROCON MS, PROCON CG, Defensoria, Energisa, entre outros.

“É como se diz: não existe imposto caro. Existe serviço mal prestado. Porque qualquer popular se sentiria satisfeito em contribuir com o Estado se a contrapartida fosse de forma satisfatória, de maneira que atenda o interesse público. E são esses e outros questionamentos que faremos durante esta audiência, que será de suma importância para darmos início a resolução de um dos maiores problemas da nossa cidade, a iluminação”, destaca o vereador.

 

Caroline Merlo

Assessoria de Imprensa do Vereador