logo
25.09.2018 · Vereador Eduardo Romero
Obras do Complexo Bálsamo continuam travadas no aguardo do MPF
reuniao_blsamo

Na manhã desta terça-feira, 25, uma comissão de moradores de bairros inseridos nas obras do Complexo Bálsamo esteve reunida com o secretário municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, Rudi Fioresi, para colher informações sobre o porquê das obras continuarem paradas. A informação repassada é de que o Ministério Público Federal (MPF) precisa se manifestar.

Os moradores procuraram o gabinete do vereador Eduardo Romero (Rede), que mediou a reunião com o secretário. De acordo com o parlamentar a explicação da pasta é que o MPF fez algumas indagações sobre os serviços já realizados. A alegação da prefeitura é que a resposta foi encaminhada há aproximadamente três meses, mas o MPF ainda não manifestou se acata ou não o teor da documentação enviada. Com isto, o empreendimento, considerado a maior obra pública da cidade, continua travado.

Em março deste ano, Eduardo Romero esteve na Sisep com o secretário Rudi Fioresi e profissionais da área técnica da secretaria. Ele questionou sobre a não retomada da obra, uma vez que em julho de 2017 a Câmara Municipal autorizou a prefeitura a contrair empréstimo na ordem de pouco mais de R$ 14 milhões para concluir obras, entre elas a do Complexo Bálsamo. Na época, o secretário explicou que alguns imbróglios jurídicos ainda não estavam definidos como, por exemplo, a retirada de trilhos e dutos de água da concessionária que opera o serviço na Capital. Porém, a secretaria estava em negociação direta com a empresa dona dos trilhos.

Enquanto a Sisep aguarda resposta do MPF, Rudi Fiorese se comprometeu a, por enquanto, fazer encascalhamento de algumas ruas que estão dentro do Complexo para a interligação da Avenida Rita Vieira com a Avenida Guaicurus.

Complexo Bálsamo - O Complexo Bálsamo tem recurso do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e por isso teve manifestação do MPF.

De acordo com a prefeitura, a retomada garantirá o término da duplicação da Avenida Rita Vieira, entre a Rua Marisa de Andrade, com ciclovia e iluminação, até a conexão com a Avenida Guaicurus; além de se concluir a Avenida Novos Estados, ligação entre a Rita Vieira e o macroanel rodoviário no Jardim Itamaracá.

Ainda conforme o executivo serão aplicados aproximadamente R$ 15,1 milhões, computando (além da contrapartida de R$ 3,1 milhões) o saldo do contrato firmado em 2011 e reajustamentos remanescentes, que terão de ser quitados. Os recursos da contrapartida são provenientes dos R$ 15 milhões da parceria com o Governo do Estado. (Com informações da prefeitura).

 

Assessoria de Imprensa do Vereador 

Acessibilidade com Libras

O conteúdo do Portal da Câmara Municipal de Campo Grande pode ser traduzido para a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) através da plataforma VLibras. Clique aqui (ou acesse diretamente no endereço - http://www.vlibras.gov.br/) e utilize a plataforma.